// PORTA (2021)


texto Gonçalo M. Tavares
dramaturgia e encenação João Brites
um diálogo com Juliana Pinho

música Jorge Salgueiro
cenografia Rui Francisco
desenho de luz e som Philippe Domengie
operação de cena Dora Sales
operação de som Inês Gregório
operação de luz Rita Louzeiro e Nicolas Manfredini

Em cena de 19 de Abril a 23 de Maio.
De quinta-feira a domingo às 20h30.
Mais informações e reservas: bilheteira@obando.pt / 910 306 101
"O que levo na cabeça é isto mesmo: levo a impaciência.
E a impaciência pesa e não se pode colocar no chão para depois a vir buscar mais tarde. Não é assim um peso tão fácil de dispensar. A impaciência não se pode esquecer, mesmo nos ataques de amnésia. Há acidentes violentos em que a cabeça e as mãos perdem tudo, todo o raciocínio e memórias, mas mantêm a impaciência.
A impaciência; sem ela, seríamos mais calmos.
Mas sem ela, ainda estaríamos do mesmo lado.
Nascíamos num lado e ficávamos nele.
Nunca percas a impaciência, disse o meu pai.
O meu pai."
Gonçalo M. Tavares