// TODOS (2019)


FESTIVAL TODOS 2019

PROGRAMA DO TEATRO O BANDO :: A ÁGUA. A VIAGEM. A MÃE. OS MUROS.

Em 2019 somos a estrutura de criação convidada do Festival Todos a decorrer de 19 a 22 de Setembro na Graça, em Lisboa.
A presença do Bando neste Festival faz-se de espectáculos para todas as idades, animações e instalações de rua e conversas intimistas, num trabalho que envolve culturas e comunidades diversas.

FESTIVAL TODOS 2019 :: AVIZINHAR O MUNDO
Teatro O Bando | programa

direcção artística MIGUEL JESUS implantação cenográfica RUI FRANCISCO e JOÃO BRITES figurinos e adereços CLARA BENTO coordenação musical JORGE SALGUEIRO apoio artístico RITA BRITO coordenação de produção RAQUEL BELCHIOR

grupos e instituições parceiras Casa Nossa Senhora da Vitória (Graça), Templo de Shiva - Shiv Mandir (Santo António dos Cavaleiros), UNIÃO DE JUVENTUDE ANGOLANA EM PORTUGAL (Sacavém), CENTRO COMUNITÁRIO VERDINE (Apelação) e Eu Amo SAC E6G (Santo António dos Cavaleiros), ASSOCIAÇÃO DE ANGOLANOS E AMIGOS DE ANGOLA (Setúbal), CORO Setúbal Voz (Setúbal) e Câmara Municipal de Loures



A ÁGUA. A VIAGEM. A MÃE. OS MUROS.

primeiro veio a água / e depois vieram muitas angústias / muitas esperanças / muitas ilusões e fracassos // até que as águas terminaram / e apareceu um muro // primeiro veio a água / e depois disso vieram muitos gritos / atribulações / e esgares de sofrimento // até que as águas rebentaram / e uma criança surgiu

A água é o conceito primordial e matéria unificadora do programa do Teatro O Bando no Festival Todos deste ano. Um programa composto por um conjunto de pequenos espectáculos, animações e encontros que nos levam, através da água, até ao mar, às viagens, à maternidade, cruzando idades, gerações e modos de vida, cruzando memórias, credos e histórias antigas. Revisitando alguns dos textos que já encenámos e algumas das personagens que criámos ao longo dos anos, colocamo-los agora em diálogo com outros vizinhos, outras vozes, outros lugares. Trazendo as palavras de Sophia de Mello Breyner Andresen, de Miguel Torga, de Eugénio de Andrade e de Mia Couto e de outras frases recolhidas, continuamos a procurar essa água utópica que possa atravessar os vários muros que se vão formando, uns mais perceptíveis do que outros. Essa água que nos lembra que há sempre um barro comum que atravessa a geografia. Aqui, na Graça, temos a oportunidade de nos juntarmos com as pessoas, os bairros, os grupos, as comunidades locais e das periferias urbanas, partilhando as suas formas de resistência e festa. Temos a oportunidade de nos deixarmos encantar com aqueles que ainda vêem na expressão teatral e artística uma forma simples de navegar e de avizinhar o mundo.
PROGRAMAÇÃO | 19 a 22 SET de 2019


» A ÁGUA E ÁGUIA
texto MIA COUTO com SANDRA HUNG e MONAXI FILHA DA TERRA dramaturgia e encenação MIGUEL JESUS criação TEATRO O BANDO

A seca começou quando as águias eram donas do mundo. A seca terminou quando as águias comeram os "i’s” dos seus nomes e a água voltou a aparecer. Entre a música e a palavra contada, vamos descobrindo essa história lendária dum tempo muito antigo em que as palavras eram as coisas. Um momento teatral para os mais novos, com cerca de quinze minutos, no Jardim da sede da Junta de Freguesia de São Vicente. 50 pax.

[apresentações no Sábado às 15h00 / 15h30 / 16h e Domingo às 14h30 / 15h00 / 15h30 / 16h15 / 16h45 / 17h15 no Jardim da sede da Junta de Freguesia de São Vicente]

: : :

» VIVÊNCIAS
texto inspirado em contos de TRADIÇÃO ORAL e no trabalho desenvolvido com um grupo de MULHERES residentes na CASA NOSSA SENHORA DA VITÓRIA com PAULA SÓ criação TEATRO O BANDO parceria CASA NOSSA SENHORA DA VITÓRIA (GRAÇA)

A Ti Miséria descobriu uma maneira de enganar a morte, por isso continua a cozinhar os seus bolos, certa de que ela nunca a virá buscar. Fugida do espectáculo "Nós de um Segredo” (uma criação do Teatro O Bando de 1986), a Ti Miséria vive agora num lar, onde, com os pés bem assentes na água, anda a conhecer outras histórias que resistem ao tempo e memórias que vêm de longe. Um encontro teatral com cerca de meia hora na Casa Nossa Senhora da Vitória, no antigo bairro operário Estrela D’Ouro. 80 pax.

[apresentações no Domingo às 14h30 / 15h30 / 16h30 na Casa Nossa Senhora da Vitória]

: : :

» JOANA
texto SOPHIA DE MELLO BREYNER ANDRESEN (excertos de Silêncio e Saga) com SUZANA BRANCO e outros participantes a definir | criação TEATRO O BANDO parceria TEMPLO DE SHIVA

O avô de Joana percorreu a vida como um estrangeiro, procurou um rumo e perdeu as coordenadas da navegação. Agora é Joana que sente estremecer o seu sossego. Poderá também ela cumprir o seu destino, ser capitã de um navio, descobrindo o que as águas têm para lhe oferecer? E que sons e gestos são esses que se vêem ao longe, trazendo pétalas e cores, fazendo da liberdade a lei da sua vida e o alimento do seu ser? Um momento teatral com cerca de meia hora na Escola Oficina nº1. 80 pax.

[apresentações na Sexta às 15h e Domingo às 15h00 / 16h30 na Escola Oficina Nº1]
: : :

» MADALENA
texto MIGUEL TORGA com RITA BRITO, JOÃO NECA e a participação de ANDREIA GOMES, CÍNTIA GOMES, FATUMATA DJAU e JOANA SOUSA criação TEATRO O BANDO parceria UNIÃO DE JUVENTUDE ANGOLANA EM PORTUGAL

Madalena fugiu do espectáculo "Bichos” (uma criação do Teatro O Bando de 1990) e continua a carregar o seu filho no ventre. Depois dos nove meses em que guardou segredo da sua gravidez, parte numa travessia, numa caminhada plena de dor e de luta, gritando e estalando de secura, em busca dessa água que a possa apaziguar. Mas há quem a espere no final desse caminho e a acolha numa terra nova. Um momento teatral com cerca de quinze minutos no Claustro da Igreja da Graça. 100 pax.

[apresentações no Sábado às 15h00 / 15h30 / 16h00 e Domingo às 14h30 / 15h00 / 15h30 / 16h15 / 16h45 / 17h15 no Claustro da Igreja da Graça]
: : :

» ZEBRA
texto a partir do trabalho desenvolvido com um grupo de CRIANÇAS E JOVENS residentes na QUINTA DA FONTE com ANA LÚCIA PALMINHA e a participação de ADELAIDE GARCIA, ALEXANDRA MIRANDA, ALIA DJALÓ, ALLYMA DJALÓ, ARIANA SANCHES, CAROLINA OLIVEIRA, DANIEL MENDES, ÉRICA MONTEIRO, GONÇALO OLIVEIRA, IARA SILVA, MÁRIO MAIA, SOLANGE LIMA, TERESA MENDES e TIAGO OLIVEIRA encenação JULIANA PINHO criação TEATRO O BANDO parceria CENTRO COMUNITÁRIO VERDINE – APELAÇÃO

As Zebras são capazes de andar muitos quilómetros à procura de água e de comida. Cada Zebra tem um padrão irrepetível e único mas em grupo camuflam-se na savana e as suas riscas confundem os predadores, como um enorme animal que não se sabe onde começa e onde termina. Aí o jogo de presa e predador inverte-se. Resultado dum trabalho de pesquisa e formação com um grupo de crianças e jovens residentes na Quinta da Fonte, esta é uma intervenção teatral com cerca de quinze minutos no Maria Pia Sport Clube. 50 pax.

[apresentações no Sábado às 15h00 / 15h30 / 16h00 e Domingo às 14h30 / 15h00 / 15h30 / 16h15 / 16h45 / 17h15 no Claustro da Igreja da Graça]
: : :

» VIAGEM
texto SOPHIA MELLO BREYNER ANDRESEN com DORA SALES e LAURINDA CHIUNGUE criação TEATRO O BANDO

Duas mulheres, de mãos dadas, vão de viagem. Querem chegar a um sítio especial, querem beber água das fontes, querem comer maçãs acabadas de colher. Mas o tempo não pára, a viagem é contínua, a felicidade é efémera e tudo desaparece sem explicação. Revisitando o texto do espectáculo que o Teatro O Bando criou em 1987, esta VIAGEM é uma intervenção teatral de rua que se irá apresentar diversas vezes e em vários locais circundantes do Largo da Graça.

[animação teatral no Domingo entre as 14h00 e as 17h30 nas ruas da Graça]
: : :

» AGUADEIROS
inspirado nas palavras de SOPHIA DE MELLO BREYNER ANDRESEN com CÁTIA RODRIGUES, CLAUDIO BENTO, CLAYTON RAFAEL, CRISTINA SAMPAIO, DIOCLECIO SEBASTIÃO, ELIZANDRO RAFAEL, EMÍLIA VELOSO, FILIPE FREIRE, HELMER FRANCISCO, ISABEL SANTOS, LUÍS BRANDÃO, LUÍS DOMINGOS, MARIA DO Ó, MATILDE ANDRADE, MATILDE SANTOS, MICHELLE SANTOS e SANDRO MATOS criação TEATRO O BANDO parceria EU AMO SAC

Como vindos de um outro tempo, aí estão os aguadeiros, saciando a sede a quem passa e tentando lembrar-nos desse instante único que, como a água, está sempre em transformação. Resultado dum processo de criação com os Confrades, formandos das oficinas teatrais que O Bando desenvolve em Palmela desde 2006, e com elementos do grupo de teatro do projecto Eu Amo SAC, baseado em Santo António dos Cavaleiros, Loures, esta é uma animação teatral que se vai apresentando pelas ruas da Graça.

[animação teatral no Domingo entre as 13h00 e as 15h00 nas ruas da Graça]
: : :

» REBENTAÇÃO DAS ONDAS
com OLIVIA AUGUSTA organização TEATRO O BANDO

Para mulheres grávidas ou que desejam engravidar. Breves encontros individuais sobre o momento da rebentação das águas e seus sintomas, sinais e simbolismos, no Arco da Travessa do Monte.

[conversas no Domingo entre as 14h30 e as 17h15 no Arco da Travessa do Monte]
: : :

» ENSAIO PARA UM RITUAL e RITUAL LÍQUIDO
pratos tradicionais de ANGOLA, CABO VERDE, SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE, ÍNDIA E ROMÉNIA organização TEATRO O BANDO parceria ASSOCIAÇÃO DE CABO VERDE DE SETÚBAL, FAMÍLIA ROMENA, TEMPLO DE SHIVA, ASSOCIAÇÃO DE ANGOLANOS E AMIGOS DE ANGOLA, FAMÍLIA RICARDINA e CORO SETÚBAL VOZ
As mesas estão postas em pleno coração da Graça. No centro, o arroz cresce aromatizando as ruas com especiarias de todo o mundo. Esteja à vontade, compre a sua tigela de barro, sirva-se do seu arroz e depois escolha aquilo com que o quer acompanhar, seja uma moamba Cabo Verdiana, um caril Indiano, um sarmale vindo da Roménia ou outras receitas mais secretas. Mas não venha só comer. Inspirados por um verso de Eugénio de Andrade, à mesa, ao ar livre, clamaremos por uma outra água, celebrando com a nossa voz o prazer deste encontro efémero. Depois de almoço, assista aos diversos espectáculos e intervenções do programa do Teatro O Bando. No final, por volta das 17h30, regresse ao Largo da Graça para que em conjunto possamos realizar um grande... ensaio! Porque por vezes o mais interessante de qualquer gesto artístico é esse momento colectivo de incerteza em que tudo está ainda em "estado líquido”.

[almoço comunitário no Domingo entre as 13h00 e as 15h00 no Largo da Graça]
: : :

» DO OUTRO LADO
instalação plástica estreada no contexto da REPRESENTAÇÃO OFICIAL PORTUGUESA NA QUADRIENAL DE PRAGA 2011 concepção JOÃO BRITES e RUI FRANCISCO colaboração MIGUEL JESUS montagem JSVC DECOR criação TEATRO O BANDO

Muitas águas e mares desembocam em lágrimas. Um Muro divide o espaço. O que está do outro lado do Muro? E do outro lado de nós mesmos? Virados para o Muro, de costas para o mundo, frente a quê e a quem? Poderemos nós ver de inúmeras perspectivas, tornando-nos mais firmes e simultaneamente mais tolerantes? Convidamo-lo a conhecer o outro lado, não o outro lado do Muro mas o outro lado de si. Conheça as suas costas, conheça o outro lado de quem se senta, de quem contempla, de quem lê estas palavras. Fotografe e fotografe-se. Tire uma fotografia de costas e envie para dooutrolado@obando.pt. Depois procure o Casulo, esse lugar de reclusão em que sozinhos olhamos para o Muro e para o mundo.