// PAULA DE PAPEL (2018)


Teatro para crianças a partir do imaginário de PAULA REGO



direcção JULIANA PINHO
cocriação e interpretação JULIANA PINHO, MARGARIDA MATA e RITA BRITO
texto a partir de entrevistas publicadas de PAULA REGO

SESSÕES EXTRA até 29 ABRIL

> sábado, 17h e 21h
> domingo, 11h e 17h
Vale dos Barris, Palmela


Informações e reservas:

BILHETE: 8, 10 ou 12 € à escolha do espectador
Grupos de 10 ou + pessoas: 7€
JANTAR
para grupos de 5 ou + pessoas + ESPECTÁCULO: 15€ [reserva obrigatória]
Para reservas e bilheteira contacte 912 438 817 / bilheteira@obando.pt

"Fecha-se os olhos, não é? Quando se vê uma coisa assim,. que faz terror ou nojo, fecha-se os olhos. É bom aprender a ter os olhos abertos, para se ver tudo."


"O medo? O medo é começar a imaginar..."

PAULA não tem medo do escuro mas das formas que aparecem quando a luz se apaga.
Durante um sonho, encontra-se a si própria e convence-se que a melhor maneira de lidar com o medo é dar-lhe uma face.
Numa viagem onde todas somos PAULA, o medo torna-se um aliado e a imaginação a matéria que nos faz avançar.
Figuras extravagantes, metade-mulher e metade-animal, saídas das pinturas e do imaginário de PAULA REGO serão as guias desta jornada em que o medo deixa de ser um inimigo.

. . .


PAULA DE PAPEL convoca a pintura para construir um objeto teatral onde o corpo e o movimento se sobrepõem à necessidade de uso da palavra para chegar à compreensão da narrativa. Em cena, todas as personagens são PAULA e tudo começa com o papel
em branco que é elemento central da construção plástica do espectáculo, papel que é o instrumento principal para a sonoplastia, papel que está sempre presente no quotidiano das crianças convocando-as assim para interagir com o espaço cénico e a narrativa.