// FUTEBOL (2021)


texto a partir do livro "História Natural do Futebol” de ÁLVARO MAGALHÃES
dramaturgia e dramatografia JOÃO MIGUEL NECA JESUS encenação JOÃO NECA
música JORGE SALGUEIRO e RUI SOUZA cenografia, figurinos e adereços RUI FRANCISCO e MARIA JOÃO CASTELO
desenho de luz PAULO DUARTE design digital BEN KIRMAN assistência de encenação FABIAN BRAVO e MIGUEL JESUS
assistência cenográfica CARLOS CAL e MARIA DA CONCEIÇÃO ALMEIDA ilustração XIMO ABADÍA

craques ABEL DUARTE, EDUARDO CORREIA, NYLON PRINCESO e RAUL ATALAIA

criação TEATRO O BANDO e TEATRO DO MONTEMURO
PRÓXIMOS JOGOS

2021
2 de Outubro  - Teatro Lethes - Faro
10 de Outubro - Arouca
16 de Outubro - Teatro Sá de Miranda - Viana do Castelo
22 de Outubro - Trigo Limpo Teatro ACERT - Tondela
25 de Novembro - Teatro Art'Imagem - Maia
7 de Dezembro - Castro Daire

2022
27 de Abril a 15 de Maio - Teatro O Bando, Palmela

O Futebol é uma viagem triste do prazer ao dever.
(Eduardo Galeano, in O Futebol ao Sol e à Sombra)


De um lado, pela equipa do Vale, Né Fintas e Zé Passinhos assumem a teatralidade titular.
Do outro, Ed Cabeçadas e Bel Pontapé em representação da equipa da Serra.

Espera-se um jogo teatral competitivo onde a relação antropológica do ser humano com uma bola e o papel social e político do futebol moderno são as narrativas tácticas em confronto.
FUTEBOL-espectáculo tem a duração de cinco mil anos: inicia-se como um rito das primeiras sociedades agrárias; transforma-se em competição na Idade Média; modifica-se no encontro com os cultos místicos da América Central e do Sul até se transformar no jogo
moderno actual.
Neste jogo popular e erudito, a participação dos adeptos presentes na plateia será decisiva durante todo o encontro.